Histórias de Motel: As gêmeas
14/07

Histórias de Motel: As gêmeas

Histórias de Motel

Márcia e Mayra são gêmeas idênticas, absolutamente indistinguíveis fisicamente, mas elas certamente não têm a mesma personalidade. Desde nova, Mayra tem, nas palavras de sua irmã, uma fama de vadia. Isso tornou a vida um tanto difícil para Márcia com os homens pensando que ela era Mayra e vindo dizer as coisas mais terríveis. Isso foi um dos motivos que levou Márcia a se mudar de cidade, mas é claro que ela tinha que voltar para casa ocasionalmente para ver seus pais. Foi numa dessas visitas que Mayra lhe pediu para fazer um favor enorme.

“Eu fiz algo muito tolo”, disse ela, eu misturei o meu calendário e tenho encontro com dois homens diferentes esta noite, você vai preencher para mim com Eduardo, ele não vai saber a diferença. Ele é um cara muito legal e nós só estávamos planejando ir a um jogo de boliche. ”

Márcia disse: “Absolutamente não!”, Mas Mayra implorou e suplicou tanto até que ela cedeu. Afinal nada demais poderia acontecer em um jogo de boliche.

Eduardo era de fora, e estava hospedado no Motel Dallas. Era assim que ele gostava, achava os ambientes de motéis muito mais interessantes do que hotéis, e, além disso, se hospedar em um motel pode acabar sendo uma mão na roda no final.

Márcia quando percebeu onde ele estava hospedado quase desistiu, mas já estava ali, então acabou completando seu papel.  Ela bateu na porta nervosamente e ficou chocada quando abriu e Eduardo, de roupão, a cumprimentou com um beijo longo e demorado.

“Eu estava louco esperando por você, linda, estava pensando em você por todos esses dias com um tesão absurdo por você”, ele ofegou, apertando-lhe levemente os seios.

Agora sim Márcia estava prestes a simplesmente virar e correr, mas ela não o fez. Apesar de sua impetuosidade, ele realmente tinha boa aparência, e os lábios mais sensuais que ela já tinha visto ou sentido. Tomando-lhe a mão suavemente Eduardo a guiou para dentro chutando a porta que se fechou atrás deles.

“Eu sei que você sempre gosta de fazer na cama, mas eu tenho uma surpresa para você”, disse ele, e apontou para uma mesa no meio do quarto. “Nós podemos fazer algo bem gostoso com isso”, ele sorriu, eu cheguei aqui ontem, fiquei imaginando e mal posso esperar para experimentar.

Mais uma vez ela estava tentada a sair fora, mas ele a pegou com aqueles lábios carnudos maravilhosos novamente e todas as suas inibições pareciam derreter. A próxima coisa que ela deu notícia é que ele estava escorregando as mãos suavemente em sua parte superior, e em seguida, desenganchando o sutiã dela. Ela respondeu com cautela, puxando o laço em seu roupão revelando uma enorme e ereto pênis.

Eduardo deixou o roupão escapar completamente enquanto descia de joelhos para afrouxar a saia de Márcia e tirar sua calcinha. Ele ficou de joelhos por um tempo e separando suas lábias com os longos dedos dele, colocou o rosto em sua vagina e  gentilmente passou a língua de um lado para o outro.

Márcia começou a tremer e Eduardo, sentindo que ela estava pronta para alguma ação, a levou para a mesa. Ao invés de convidá-la para ficar por baixo, ele tomou essa posição e pediu-lhe para ficar por cima. Ela ficou ali nervosamente olhando para seu pênis ereto e se perguntando como seria a sensação de tê-lo profundamente dentro dela.

Eduardo a pegou pelos braços e a puxou para frente até que sua vagina estava na posição certa para a sua boca, mas, em seguida, ele veio com uma outra surpresa, tirando um vibrador debaixo da mesa, daqueles com a extensão de borracha que estimula o clitóris enquanto ele vibra. Ela não percebeu isso e então teve um choque quando ele inseriu e ligou o aparelho nela.

Experimentando essa sensação de calor maravilhosa, o instinto de Márcia foi o de tomar o seu e enorme pênis e apenas chupa-lo tão forte quanto podia. Como o vibrador continuou a zumbir e ela ficou mais e mais animada ela aumentou o ritmo. Quando ela começou a sentir que iria gozar, ela foi colocando sua boca mais e mais profundamente, e quando seu corpo começou a tremer descontroladamente, ela foi esmagada por um orgasmo incrível, e sentiu também ele gozar em sua boca.

Márcia apenas se deixou cair sobre o corpo quente de Eduardo e ele tirou o brinquedo e muito gentilmente a reposicionou de maneira que ela ficasse deitada de costas. Ele estava no lado da mesa e começou a massageá-la suavemente primeiro com as mãos e, em seguida, com a língua. Ele chupou seus mamilos eretos enquanto passava os dedos em torno dos contornos de seus seios e então ele gentilmente a puxou para baixo na mesa até que as pernas ficassem penduradas sobre a borda.

Nesse ponto, ele estava de pé entre suas pernas e se ajoelhou mais uma vez com a língua em torno de sua vagina. Márcia não podia acreditar no que estava acontecendo com ela e começou a dizer: “Entre em mim. Entre em mim agora!”

Eduardo se levantou e seu pênis, que estava duro e pulsando mais uma vez, ficou na altura certa. Olhando para o  belo corpo de Márcia, começou a tremer um pouco e, em seguida, com um movimento vigoroso ele empurrou-o em sua vagina. Ambos engasgaram ao mesmo tempo e ela começou a mover os quadris em um rebolado como se dissesse, vamos fazê-lo – vamos fazê-lo agora.

Com as mãos debaixo das nádegas de Márcia, Eduardo começou a bater tão forte dentro da vagina de Márcia que o som ecoou pelo quarto. Márcia esticou e agarrou seus braços a medida que seus golpes ficavam mais e mais rápidos.

Gemendo, ele fez o forte e final impulso disparando dentro dela o seu prazeroso gozo. Márcia estava completamente excitada, já que nunca havia experimentado um sexo assim. Eles ainda conseguiram repetir a dose, antes de comer algo e ela voltar para casa.

“E então, como foi o jogo?”, Perguntou Mayra, que teve um encontro decepcionante.

“Agradável.” Márcia respondeu, sorrindo por dentro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *